Ácido Orótico, urina

Outros nomes:

OROTICO, ACIDO

OROTICO, ACIDO, NA URINA

Ácido Orótico na urina

Orientações necessárias

- É necessário trazer documento de identidade (RG).

Processamento e adequação da amostra

- Aliquotar 10 mL de urina em frasco plástico padrão (volume mínimo 3 ml). - Congelar a -20 ºC. Estabilidade da amostra: Temperatura ambiente: não aceitável; Refrigerada (2-8ºC): não aceitável; Congelada: 30 dias.

Método

- Colorimétrico.

Valor de referência

- Menor de 2 semanas: 1,4 - 5,3 mmol/mol creatinina - 2 semanas a 1 ano: 1,0 - 3,2 mmol/mol creatinina - 2 anos a 10 anos: 0,5 - 3,3 mmol/mol creatinina - Igual ou superior a 11 anos: 0,4 - 1,2 mmol/mol creatinina

Interpretação e comentários

- Este exame serve para a avaliação de portadores de hiperamoniemia, tanto em decorrência de defeitos do ciclo da uréia quanto por comprometimento do transporte de aminoácidos dibásicos. O ácido orótico também pode se elevar por defeito na síntese de pirimidinas, como ocorre na acidúria orótica hereditária. - Três dos erros do ciclo da uréia (deficiência da ornitina transcarbamilase, citrulinemia e argininemia) caracterizam-se por níveis altos de amônia plasmática e acidúria orótica. As dosagens de amônia, citrulina, arginina e ornitina no plasma e a de ácido orótico na urina contribuem para o diagnóstico diferencial dos erros do ciclo da uréia.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989