BCR-ABL tipo P210, quantificação por tempo real por PCR, Vários Materiais

Outros nomes:

Rearranjo BCR-ABL do Tipos e13a2 (b2a2) / e14a2 (b3a2), por PCR Quantitativo

BCR-ABL, Rearranjo Tipos e13a2 (b2a2) / e14a2 (b3a2), por PCR em Tempo Real

Cromossomo Filaddélfia por PCR em Tempo Real, Quantitativo

Translocação do Cromossomo 9:22 por PCR em Tempo Real, Quantitativo

p210, Quantificação

BCR-ABL, rearranjo dos tipos E13A2/E14A2, P/PCR, quanti., vários materiais

BCR-ABL1 tipo P210, quantificação por tempo real por PCR, Vários Materiais

Processamento e adequação da amostra

- Receber a amostra em embalagem REF e mantê-la nesta condição até a manipulação. - Não manusear. - Enviar o material REF o mais rápido possível com a sinalização PH1PCR, QBCRABL, MUTBCRABL e PMLRARA para envio separado a seção, juntamente com o questionário preenchido. - Rejeitar amostras colhidas em heparina. - Não aceitar material enviado em seringa com agulha. - Estabilidade da amostra: -- temperatura ambiente: não aceitável; -- refrigerada (2-8ºC): 24 horas; -- congelada (-20ºC): não aceitável.

Orientações necessárias

- Este exame se destina ao acompanhamento de indivíduos que tenham leucemia com presença do cromossomo Philadelphia, nos quais exames prévios mostraram a presença do rearranjo gênico [e13a2 (b2a2)/e14a2 (b3a2)],cujo transcrito é responsável pela produção da proteína p210. Este teste é especialmente útil para avaliar a resposta ao uso de imatimibe (Glivec). Na fase de diagnóstico, recomenda-se a realização do exame PH1PCR, que é capaz de detectar os transcritos responsáveis pela codificação das proteínas p210 e p190. II - Material - O teste pode ser feito em amostras de sangue periférico ou de medula óssea, conforme critério médico, colhidas no Fleury ou não. III - Medula óssea - Caso seja solicitada a coleta de medula óssea no Fleury, o cliente deve agendá-la previamente. IV - Material enviado - A amostra tem de ser mantida sob refrigeração e entregue até 24 horas após a coleta. - Materiais enviados com agulha de punção serão recusados. .

Método

- Quantificação do rearranjo gênico BCR/ABL [e13a2 (b2a2)/e14a2 (b3a2)] por transcrição reversa e reação em cadeia da polimerase (RT-PCR) em tempo-real.

Valor de referência

- Indetectável.

Interpretação e comentários

- O estado de remissão morfológica nas doenças onco-hematológicas impõe ao clínico um novo desafio: a detecção de doença residual mínima (DRM) após o tratamento, que constitui uma informação crucial para o planejamento terapêutico subsequente. O rearranjo gênico BCR/ABL é característico da leucemia mieloide crônica (LMC) e tem sido utilizado há vários anos como alvo para o acompanhamento da remissão (molecular) dessa doença. Mais recentemente, com a utilização do transplante de medula óssea e a administração do mesilato de imatinibe (Glivec®) para portadores de LMC, aumentou a importância do seguimento molecular dos indivíduos afetados. Além disso, ficou demonstrado que a quantificação do RNA mensageiro do BCR-ABL por PCR em tempo real é uma estratégia superior e reprodutível para o acompanhamento desses doentes, já que apresenta melhor sensibilidade e pode ser padronizada em diversos laboratórios. - O Fleury realiza a investigação de DRM em portadores de LMC por RT-PCR quantitativo em tempo real. Em agosto de 2010, houve alteração na forma de expressão do resultado deste exame. Atualmente, o valor reportado reflete o número de cópias de BCR/ABL em relação ao gene controle ABL [BCR/ABL:ABL], e não mais em relação ao controle do Fleury. A diminuição dessa razão ao longo do tratamento indica resposta ao tratamento utilizado.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989