Citomegalovírus, quantificação por PCR em tempo real, Vários Materiais

Outros nomes:

Citomegalovirus, quantificação do DNA por PCR

Citomegalovirus, carga viral por PCR

CMV, carga viral por PCR

CMV, carga viral por PCR em tempo real

CMV DNA, quantitativo, por PCR

CMV, por PCR, quantitativo

CMV, por PCR em tempo real, quantitativo

Citomegalovírus, por PCR em tempo real, quantitativo

Citomegalovírus, por PCR, quantitativo

CMV, quantitativo, por PCR

Processamento e adequação da amostra

Unidades sem distribuição: A amostra deve ser acondicionada imediatamente após a coleta em embalagem REF padronizada que deve estar acondicionada na base da caixa de transporte em contato direto com o gelox. Montagem de embalagem REF : Utilizar uma caixa de isopor de 3 litros - Forrar a base e as laterais menores com gelox. - A grade branca de coleta deve ficar entre os gelox das laterais e em contato com o gelox da base - O gelox desta caixa devem ser substituídos a cada 5 horas. Unidades com Distribuição: Dentro de, no máximo, 4 horas após a coleta, centrifugar o material por 10 minutos, a 2200 g, a 18 °C. Aliquotar 1 mL do PLASMA após a centrifugação e transferir para um tubo de aliquota sem anticoagulante Temperatura ambiente: não aceitável; Refrigerada (2-8 °C): 48 horas; Congelada (-20 °C): 1 mês.

Método

- PCR em tempo real.

Valor de referência

- Indetectável. - Limite inferior de detecção: 34,5 UI/mL.

Interpretação e comentários

- A infecção pelo citomegalovírus (CMV) é frequentemente inaparente em indivíduos imunocompetentes, mas ganha importância clínica em imunossuprimidos. Essa é a situação de pessoas submetidas a transplantes diversos, em tratamento quimioterápico prolongado, em uso de imunossupressores ou, ainda, de portadores do HIV. A detecção do CMV por técnicas moleculares é mais sensível do que os métodos tradicionais de determinação da antigenemia, permitindo avaliar até mesmo pacientes neutropênicos. Além disso, pode ser mais informativa do que a sorologia. Nesse método, realiza-se a quantificação absoluta (carga viral) do DNA do CMV em amostras de plasma por meio de PCR em tempo real. Essa abordagem permite ainda a diferenciação de infecção latente dos casos em que há replicação viral (infecção ativa). Finalmente, a carga viral do CMV pode ser utilizada para o monitoramento da resposta à terapêutica dos indivíduos submetidos ao tratamento antiviral.

Orientações necessárias

- Não é necessário preparo para este exame. -Este exame pode ser realizado no plasma, liquor, urina e lavado broncoalveolar.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989