Hepatite E, Detecção do RNA por PCR, soro

Outros nomes:

PCR para hepatite E

PCR para HEV

PCR para VHE

pesquisa de hepatite E por PCR

PCR para vírus da hepatite E

Orientações necessárias

Não é necessário preparo para este exame.

Processamento e adequação da amostra

Centrifugar em até 6 horas da coleta, a 18ºC. - Aliquotar 2 mL de soro e enviar congelado ao setor LARI-LARN. - Volume mínimo 0,5 mL Estabilidade da amostra: - Temperatura ambiente: Não aceitável; - Refrigerado (2º-8ºC): 7 dias; - Congelado (-20ºC): 7 dias.

Método

Reação em cadeia da polimerase em tempo real

Valor de referência

Não detectado. Limite de detecção: 1.800 UI/mL (3,3 log UI/mL)

Interpretação e comentários

A hepatite E é uma doença viral de transmissão fecal-oral que pode ocorrer de forma esporádica ou em surtos na população geral. Classicamente, se apresenta como hepatite aguda, muito semelhante clinicamente à hepatite A. A grande maioria dos casos é benigna; contudo, pode ter evolução mais grave e causar insuficiência hepática aguda com maior frequência em gestantes. Estudos recente têm demonstrado soroprevalência de IgG anti-vírus da hepatite E entre 2% e 10% o Brasil, tendo sido as maiores taxas encontradas nos estado do Sul do país. Em pacientes submetidos a hemodiálise e/ou receptores de transplante renal, esta prevalência pode chegar a 15%. A hepatite E pode ter curso crônico em pacientes imunossuprimidos. O diagnóstico de infecção aguda pode ser feito por meio da detecção de anticorpos da classe IgM específicos, que têm maior valor preditivo positivo quando acompanhados de IgG. A PCR pode ser útil no contexto de presença isolada de IgM, entretanto, o resultado negativo não exclui o diagnóstico, dado o período de viremia relativamente curto em imunocompetentes (3 a 7 semanas após a aquisição da infecção). Se persistir a suspeita, recomenda-se o teste sorológico. A maior utilidade da PCR refere-se ao diagnóstico e seguimento de hepatite E crônica em indivíduos imunossuprimidos. Ressalta-se que, nessa população, a soroconversão pode não ocorrer, o que faz da PCR uma ferramenta útil na investigação de elevação de transaminases sem causa definida.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989