Imunofenotipagem, plaquetária, sangue total

Outros nomes:

Imunofenotipagem Plaquetária

Citometria de Plaquetas

Síndrome de Bernard-Soulier

Trombastenia de Glanzmann

Estudo de plaquetas por citometria de fluxo

CD41

CD42b

GPIIb-IIIA

GPIb

Orientações necessárias

Este exame não é realizado aos sábados, domingos, véspera de feriados e feriados. O exame deve ser realizado até as 11 horas.

Processamento e adequação da amostra

Conferir a identificação e qualidade do material Enviar à seção mais rápido possível, em temperatura AMBIENTE, acondicionada na caixinha de papelão em caixa de transporte T.A Distribuição unidades Hospitalares: Conferir a identificação e qualidade do material Conferir se todos os documentos necessários para a realização do exame foram entregues juntamente com a amostra (Questionário ou receita médica com histórico e hipótese diagnóstico do cliente) Priorizar o gerenciamento da amostra Acondicionar em caixa plástica/papelão com a sinalização de amostra urgente, juntamente com o protocolo de envio de amostras urgentes. O material deve ser encaminhado para o setor o mais rápido possível. O exame deve ser realizado no mesmo dia da coleta. Enviar à seção em temperatura AMBIENTE, acondicionada na caixinha de papelão em caixa de transporte T.A Solicitar transporte urgente para o envio da amostra à seção caso os horários de malote pré- estabelecidos não possam atender a urgência necessária para o rápido recebimento da amostra pelo setor técnico. ATENÇÃO: enviar ou scanear o questionário ou receita médica com histórico e hipótese diagnóstica do cliente. Estabilidade da amostra: Temperatura AMBIENTE, acondicionada na caixinha de papelão em caixa de transporte T.A. 6 horas. Temperatura refrigerada: não aceitável. Congelada: não aceitável.

Método

Análise por citometria de fluxo.

Interpretação e comentários

A citometria de fluxo de plaquetas é uma ferramenta emergente, adequada para o estudo da expressão de receptores de superfície plaquetária de forma qualitativa e quantitativa. As plaquetas são marcadas com anticorpos monoclonais fluorescentes e a suspensão de células passa através do citômetro de fluxo equipado com raio laser que ativa o fluoróforo. A fluorescência é medida e a intensidade da luz emitida é diretamente proporcional ao número de anticorpos ligado aos receptores / antígenos plaquetários. Sua técnica é relativamente simples, confiável e econômica, com ampla aplicação no diagnóstico de vários distúrbios plaquetários herdados e adquiridos; como doença de Bernard Soulier, doença de von Willebrand, doença de Glanzman e entre outras. Entre as vantagens da citometria de fluxo para o estudo das plaquetas estão: a análise das células em seu estado fisiológico, ativação insignificante de plaquetas in vitro devido à manipulação mínima da amostra, necessidade de quantidade muito pequena de sangue, detecção da expressão de epítopos de superfície das plaquetas e análise precisa das plaquetas dos pacientes com trombocitopenia grave

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989