Proteínas, totais, soro

Outros nomes:

Proteínas totais no soro

PROTEINA TOTAL, SORO

Orientações necessárias

- De preferência, a coleta deve ser feita pela manhã, devido ao efeito circadiano.

Processamento e adequação da amostra

- Anotar horário de coleta; - Aguardar 30 minutos; - Centrifugar a 2200 g por 10 minutos a 18 ºC; - Não aliquotar; - Enviar à seção, em temperatura ambiente; - Soro, volume ideal: 1,0 mL; volume mínimo: 0,5 mL. Estabilidade da amostra: Temperatura ambiente: 6 dias; Refrigerada (2-8 ºC): 30 dias; Congelada (-20 ºC): 1 ano.

Método

- Colorimétrico.

Valor de referência

- De 6,5 - 8,1 g/dL.

Interpretação e comentários

- O teste é útil na avaliação das hipoproteinemias, quer por defeito de síntese protéica, como ocorre nas hepatopatias e na desnutrição, quer por perda protéica, como na síndrome nefrótica e na enteropatia com perda proteica. As globulinas podem estar elevadas à custa de suas frações alfa-1, alfa-2, beta ou gamaglobulina, o que é possível identificar por meio da eletroforese de proteínas.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989