Manual de exames

Sangramento, Tempo de, sangue total

Outros nomes: TELANGIECTASIA CAPILAR, TS, Tempo de Sangramento, Tempo de sangramento de Duke

Este exame não precisa ser agendado

Orientações necessárias

- Devem ser informados os medicamentos tomados nos últimos sete dias, especialmente antiagregantes plaquetários como ácido acetilsalicílico (Aspirina®, AAS®, Melhoral®, Bufferin®, etc.), antiinflamatórios, antidepressivos, antialérgicos, diuréticos e betabloqueadores.

- Não realizado em recém-nascidos e crianças até dois anos de idade.

Processamento e adequação da amostra

Receber o impresso "Envio de materiais para distribuição", conferindo a anotação do resultado do TS com a etiqueta de código de barras. do exame a ser digitado.

- Gerenciar a etiqueta no sistema de gerenciamento de amostras.
- Transcrever corretamente para o sistema o resultado do TS, utilizando a rotina TRD para digitação e TRL para a liberação.

Importante:
1) Resultado com duas determinações (somente nas situações em que a 1ª determinação foi de 30 seg): digitar os dois resultados
1° determinação------------------------
2° determinação------------------------

OBS: 30 segundos deve ser digitado como 0,30.

2) Resultado maior que 15 minutos: digitar o resultado como SUP;15.

3) TS com sangramento abundante logo após a punção:

- não cancelar o exame

- digitar - - - (três traços) no resultado

- o resultado será liberado com uma nota (OB519: Durante a realização do teste, observou-se sangramento pronunciado no sítio da punção no lóbulo auricular. Nessa situação, a determinação precisa do "Tempo de Sangramento" fica prejudicada, razão pela qual não é possível liberar o resultado do teste).

4) TS com resultado inferior a 30 segundos (0,30), liberar com a seguinte nota: Foram realizadas duas determinações, ambos com resultado abaixo de 30 segundos. Este padrão de leitura está relacionado à limitação técnica do teste e não tem significado clínico.

Método

- Método de Duke: avaliação do tempo de sangramento de uma incisão feita no lóbulo da orelha, realizada com uma lanceta estéril e descartável.

Valor de referência

1 a 3 minutos

Interpretação e comentários

- Em conjunto com outros testes de hemostasia, este exame é usado na avaliação laboratorial inicial de pacientes com distúrbios hemorrágicos. Da mesma forma, pode ser empregado como teste de triagem na avaliação hemostática pré-operatória em situações específicas.
- Trata-se de um teste com baixa sensibilidade e, em muitos casos, inespecífico para identificar anormalidades da hemostasia primária, razão pela qual vem sendo substituído pelo tempo de sangramento de Ivy (TS Ivy).
- O exame avalia a interação entre as plaquetas e a parede vascular lesionada e depende do número e da qualidade das plaquetas, de alguns fatores plasmáticos, do endotélio e da contratilidade capilar. Vale lembrar que o tempo de sangramento (TS) é mais longo em mulheres e recebe a influência do hematócrito.
- O TS prolongado ocorre nas seguintes condições:
-- Plaquetopenias primárias e secundárias, quando o número de plaquetas é de 50.000/mm³ ou menos;
-- Defeitos plaquetários qualitativos hereditários: doença de von Willebrand, síndrome de Bernard-Soulier e trombastenia de Glanzmann;
-- Alterações plaquetárias qualitativas adquiridas pela presença de inibidores da função plaquetária (AAS®, dextran, fenilbutazona e outros);
-- Doenças que cursam com alterações vasculares, tais como púrpura de Henoch-Schönlein, telangiectasia e crioglobulinemias;
-- Alterações qualitativas ou quantitativas do fibrinogênio;
-- Insuficiência renal;
-- Presença de níveis elevados de PDF;
-- Presença de paraproteínas circulantes.

Convênio e cobertura

Consulte nossa página de Convênios para mais informações

Particular e valores

Não tem convênio? Fale com a gente e consulte as condições especiais de pagamento particular.

Faça em casa

Agora, você pode fazer exames de sangue, urina e fezes em casa, no trabalho ou onde preferir. Consulte as regiões de cobertura