Sequenciamento do gene PMS2 long range PCR, complementação, Vários Materiais

Processamento e adequação da amostra

- Não manipular; Sangue: - Enviar o material refrigerado para setor de Métodos Moleculares acompanhado do Questionário original preenchido; - Rejeitar amostras colhidas em heparina Estabilidade: Temperatura ambiente: 48 horas; Refrigerada (2-8 ºC): 5 dias; Congelada (-20 ºC): não aceitável. Saliva e swab oral - O material deve ser enviado em temperatura ambiente para o setor de Métodos Moleculares acompanhado do Questionário original preenchido. Para mais informações, acesse www.fleurygenomica.com.br Estabilidade: Temperatura ambiente: 30 dias Refrigerada (2-8ºC): não aceitável

Método

Amplificação de todo o segmento do gene PMS2, por meio de um PCR longo (long range PCR), evitando-se a amplificação do pseudogene PMS2CL. O produto dessa amplificação inicial é utilizado como template para um segundo PCR, seguido de sequenciamento Sanger para a identificação da variante solicitada. O laudo é produzido com base na identificação da variante no gene PMS2 e sua classificação de acordo com critérios de associações médicas internacionais.

Valor de referência

Variante não identificada

Interpretação e comentários

O gene PMS2 está associado a cerca de 5% dos casos de Síndrome de Lynch, de herança autossômica dominante [OMIM: 614337]. Variantes patogênicas no gene PMS2 estão associadas à Síndrome de Lynch, de herança autossômica dominante [OMIM: 614337], relacionada a um risco aumentado para o desenvolvimento de câncer colorretal e outros tumores extra-colônicos, incluindo o câncer de endométrio, gástrico, ovário, ureter, pelve renal, vias biliares e tumores cerebrais. O risco cumulativo estimado para o câncer colorretal aos 70 anos de idade varia entre 15%-20%. Variantes patogênicas neste gene conferem ainda risco aos 70 anos de idade para câncer de endométrio em torno de 15% e aumento de risco para câncer gástrico, câncer de intestino delgado, pelve renal, câncer de ovário, entre outros. Devido a alta homologia de sequência entre o gene PMS2 e o pseudogene PMS2CL, especialmente entre os exons 9 e 11 a 15, faz-se necessário utilizar a metodologia Long range PCR, Nested PCR e sequenciamento Sanger para identificar, se variantes contidas nesses exons, estão de fato no gene PMS2 ou no pseudogene (PMS2CL). Destacamos que o pseudogene PMS2CL não será sequenciado nesta amostra. Além disso, esta metodologia não exclui possível ocorrência de conversão gênica entre as regiões supracitadas em outros membros da família.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989