Triclorocompostos, totais, urina

Outros nomes:

Triclorocompostos totais na urina

Tricloroetano

Vinil tricloreto

Etano tricloreto

Metil cloroformio

Clorotene

Estrobano

Tricloroetileno

Triclene

Neutri

Orientações necessárias

Este exame é ocupacional, devendo ser realizado SOMENTE em amostra de urina pós-jornada, colhida no fim do turno do último dia da semana de trabalho. - A coleta não pode ser feita no posto de trabalho. Quando feita nas dependências da empresa, deve ser feita no ambulatório ou em outro ambiente limpo e sem contaminação. - Antes da coleta, deve ser feita rigorosa higiene das mãos. - Não usar a vestimenta usual de trabalho ao coletar esse exame. - Material colhido fora do Fleury - O cliente deve retirar, na unidade de atendimento, o frasco adequado e a folha de instrução para a coleta do material. - A amostra pode ser entregue em até três dias, desde que mantida sob refrigeração.

Processamento e adequação da amostra

"Verificar se a amostra foi enviada em frasco cristal de tampa branca. Caso não seja esse o frasco, solicitar nova coleta. - Não manipular. - Enviar refrigerado - Volume mínimo: 10 mL "

Método

Espectrofotometria UV/VIS

Valor de referência

- Para a população não exposta, não há valores estabelecidos. - Índice biológico máximo permitido (IBPM): -- para a população exposta ao agente químico tricloroetileno: triclorocompostos totais (indicador biológico) até 300 mg/g de creatinina; -- para a população exposta ao agente químico tricloroetano: triclorocompostos totais (indicador biológico) até 40 mg/g de creatinina.

Interpretação e comentários

O triclorocompostos se apresentam na forma líquida, incolor, com odor semelhante ao clorofórmio. Utilidade - A determinação dos triclorocompostos totais objetiva monitorizar os indivíduos expostos no ambiente do trabalho aos solventes tricloroetileno e tricloroetano (metilclorofórmio). Ocorrência, absorção e excreção - A exposição ao tricloroetileno e ao tricloroetano está relacionada com as atividades ocupacionais descritas abaixo: -- o tricloroetileno é utilizado como solvente e desengraxante na limpeza de peças metálicas, na produção de borrachas, na extração de óleo e de gorduras de produtos vegetais, no líquido de limpeza de lentes de contato, em produtos para lavagem a seco (roupas, automóveis, etc.), em produtos de limpeza, como removedores e fluidos para carpetes, e nas indústrias química e têxtil, analgésico e anestésico; -- já o tricloroetano (metilclorofórmio) é usado como desengraxante na limpeza de peças metálicas e como solvente de tintas e colas, além de entrar na composição de aerossóis e de produtos para lavagem a seco. - As vias de entrada são: inalatória, ingestão e contato cutâneo A porção de tricloroetileno retida no organismo por meio de inalação, aproximadamente 55%, tem um metabolismo lento, sendo excretada em três semanas. Metabolismo hepático (cit P450) O ácido tricloroacético, um de seus principais metabólitos, possui uma meia-vida de cerca de quatro dias. Em torno de 15% do solvente é exalado inalterado. - Por sua vez, o tricloroetano apresenta meia-vida de aproximadamente oito horas e meia e exalação inalterada em grande proporção (70%). Ao ser.metabolizado, esse composto se transforma em tricloroetanol e, posteriormente, em ácido tricloroacético (0,5% da dose inicial). Efeitos adversos - A exposição por curto período ao tricloroetileno e ao tricloroetano pode causar depressão do sistema nervoso central e dermatite. Pode também, irritação respiratória, sendo que nos casos graves levar a edema pulmonar. A ingestão pode provocar náuseas, vômitos, irritação trato digestório e dores abdominais. - Já a exposição crônica ao tricloroetileno provoca efeitos como narcose, neuralgia do trigêmeo, parestesia facial e fraqueza dos músculos envolvidos na mastigação. Se o indivíduo ficar exposto cronicamente a baixas concentrações do composto, existe a possibilidade de desenvolver disfunção subclínica de nervos periféricos. Em tais casos, porém, a eletroneuromiografia mostra melhor sensibilidade diagnóstica. Outras raras manifestações incluem tremor, ataxia e disfunção óptica. Pode também causar lesões na pele (ressecamento, fissuras e eczema). - Por fim, a exposição crônica ao tricloroetano costuma ocasionar lesão renal, evidenciada por elevação do nível de creatinina, ureia e proteína transportadora do retinol, e lesão do fígado, demonstrada por elevação das enzimas hepáticas. - Observações importantes: - A ingestão de etanol (álcool) em período coincidente com o da exposição inibe a metabolização desses solventes e, por conseguinte, diminui sua excreção. - Em caso de ocorrer exposição simultânea ao tricloroetileno e ao tricloroetano ou também em associação com o tetracloroetileno, recomenda-se realizar avaliação ambiental.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (21) 2266-8989

Preços e Pagamento Particular

A Clínica Felippe Mattoso oferece parcelamento em até 10x sem juros (parcela mínima de R$ 50,00).

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: 

(21) 2266-8989